“Um roteiro bem formatado torna sua apresentação mais atraente, além de facilitar a leitura e o entendimento de todos os interlocutores na produção de um curso e-Learning.”

Existem alguns padrões de formatação para roteiros, sendo que cada um tem um propósito. Mas todos eles podem ser divididos em 3 partes básicas: Cabeça de cena, rubrica e diálogo. O padrão de formatação utilizado no cinema, por exemplo, faz com que cada página do roteiro represente o equivalente a 1 minuto de filme. Assim, um roteiro com 100 páginas pode indicar que o filme terá aproximadamente 100 minutos. Para obter esse resultado, regras com o tamanho da fonte, margens e posição do texto devem ser respeitadas.
No caso do e-Learning, a formatação não tem representatividade no tempo do produto audiovisual, apenas é utilizado para facilitar a leitura e o entendimento do roteiro. Dessa maneira, não há necessidade de se estabelecer um padrão de fontes, margens e outros elementos. Deve sim ser respeitado apenas uma ordem no aparecimento das indicações no roteiro, pois quando muitas informações técnicas, explicações e partes narrativas aparecem sem organização, fica muito complicado ler o roteiro. E se alguém não entender nada ao ler o roteiro, principalmente o cliente, um grande problema será criado!

Por isso, nesse post vamos mostrar como formatar seu roteiro dentro dessas três partes básicas. Será mais um guia para você consultar e preparar o seu roteiro de maneira correta.

PARTE 1: CABEÇA DE CENA
Essa parte é bem simples, serve para indicar que uma nova cena começará e em qual cenário ocorrerá. As cabeças de cena contém a indicação do número da cena, se será externa ou interna, o cenário, e se será dia ou noite. Uma sugestão é utilizar a fonte em negrito para destacar essa parte do resto do roteiro. E claro, sempre pulando uma linha entre o final da cena anterior.
Uma ordem lógica para você escrever a cabeça de cena pode ser essa:

Cena 1 – INT – Sala da casa do Pedrinho – DIA
Cena 3 – EXT – Montanha – NOITE
Cena 39 – EXT – Floresta – DIA

PARTE 2: RUBRICA
É a parte que contém a descrição do cenário, da ação da cena, indicações técnicas e os textos das legendas, que podem por ventura entrar na tela.
Também não tem segredo para escrever a Rubrica. Tenha em mente apenas uma dica: agrupe por parágrafos cada elemento. Por exemplo, escreva toda a descrição do cenário em um parágrafo. No parágrafo seguinte coloque a descrição da ação. No terceiro parágrafo aponte as informações técnicas e as legendas, faça num quarto parágrafo.
Você pode usar a mesma fonte utilizada na Cabeça de cena, mas sem estar em negrito. E procure sempre começar a escrever a Rubrica a partir da linha de baixo da Cabeça de cena. Vamos ao exemplo:

Cena 1 – INT – Sala da casa do Pedrinho – DIA
A sala é pequena, tem paredes azuis e muitos móveis. As luzes estão apagadas, e o ambiente é iluminado pela luz da TV.
Pedrinho está sentado no sofá jogando videogame. Ele está concentrado na tela, pressionando os botões com rapidez, transpirando e mordendo a língua. A cada jogada realizada, Pedrinho comemora.
A mãe de Pedrinho entra na sala.
O botão de Pular apresentação aparece no canto direito da tela. Logo abaixo, aparece o botão Ajuda.
Legenda: Seja bem-vindo ao curso sobre Física. Logo mais você conhecerá Pedrinho, um garoto esperto que está aprendendo as principais noções de Física pelo seu próprio game de futebol.

PARTE 3: DIÁLOGO
Formatar um diálogo é muito simples. Basta prestar atenção para colocar o nome do personagem antes do que ele dirá e pronto. Não tem segredo. A única sugestão é também pular uma linha depois da Rubrica antes de iniciar o Diálogo. Não esqueça de usar a mesma fonte da Rubrica para o roteiro não virar uma mistura de fontes, o que é ruim para a leitura. Vamos para o exemplo.

Cena 1 – INT – Sala da casa do Pedrinho – DIA
A sala é pequena, tem paredes azuis e muitos móveis. As luzes estão apagadas, e o ambiente é iluminado pela luz da TV.
Pedrinho está sentado no sofá jogando videogame. Ele está concentrado na tela, pressionando os botões com rapidez, transpirando e mordendo a língua. A cada jogada realizada, Pedrinho comemora.
A mãe de Pedrinho entra na sala.
O botão de Pular apresentação aparece no canto direito da tela. Logo abaixo, aparece o botão Ajuda.
Legenda: Seja bem-vindo ao curso sobre Física. Logo mais você conhecerá Pedrinho, um garoto esperto que está aprendendo as principais noções de Física pelo seu próprio game de futebol.

Pedrinho: Uau. Em 2 minutos já marquei três gols. Eu sou demais.
Mãe do Pedrinho: (gritando) Pedrinho, está na hora de estudar.
Pedrinho: (chateado) A mãe, não gosto de Física
Mãe do Pedrinho: (mais calma) Vem Pedrinho, você vai ver que é divertido aprender sobre Física.

Repare que inserimos entre parênteses indicações específicas para as falas do Pedrinho e da Mãe do Pedrinho. Isso é chamado de Rubrica de personagem e serve para o ilustrador trabalhar a expressão do personagem no momento dessa fala, ou no caso de um ator trabalhar a emoção na hora certa.
Se por acaso, depois da fala do Pedrinho uma outra ação começar, é só pular uma linha, escrever a Rubrica da nova ação e seguir a cena. Lembre-se, você só mudará para a cena seguinte quando ocorrer mudança de cenário ou de tempo, ou seja, passando do DIA para a NOITE.
Veja o exemplo:

Cena 1 – INT – Sala da casa do Pedrinho – DIA
A sala é pequena, tem paredes azuis e muitos móveis. As luzes estão apagadas, e o ambiente é iluminado pela luz da TV.
Pedrinho está sentado no sofá jogando videogame. Ele está concentrado na tela, pressionando os botões com rapidez, transpirando e mordendo a língua. A cada jogada realizada, Pedrinho comemora.
A mãe de Pedrinho entra na sala.
O botão de Pular apresentação aparece no canto direito da tela. Logo abaixo, aparece o botão Ajuda.
Legenda: Seja bem-vindo ao treinamento. Logo mais você conhecerá Pedrinho, o melhor jogador de futebol virtual do Brasil.

Pedrinho: Uau. Em 2 minutos já marquei três gols. Eu sou demais.
Mãe do Pedrinho: (gritando) Pedrinho, está na hora de estudar.
Pedrinho: (chateado) A mãe, não gosto de Física
Mãe do Pedrinho: (mais calma) Vem Pedrinho, você vai ver que é divertido aprender sobre Física.

O pai de Pedrinho entra na sala.

Pai de Pedrinho: Vem filho, eu estudo com você.

Pedrinho larga o controle no sofá, se levanta, desliga o videogame e caminha cabisbaixo para a cozinha.

Cena 2 – INT – Quarto do Pedrinho – DIA
Pedrinho e seu pai estão em frente ao computador.

Se por acaso você precisar acrescentar uma descrição do Menu do curso que está desenvolvendo, Tela de Ajuda, ou outras partes que não sejam cenas especificamente, não tem problema, basta criar a Cabeça de cena com o nome MENU DO CURSO e pronto. Depois, siga escrevendo a Rubrica com informações técnicas para o Menu.
Obviamente esse post simplificou muito as dicas para formatação, visando ser uma leitura prática e rápida. Tomara que essas poucas informações possam ajudar você a formatar seu roteiro.

Bruno R. Módolo é roteirista e sócio da Garoa Fina, um estúdio dedicado ao desenvolvimento de roteiros e histórias para TV, Cinema e Publicidade. Entre os principais trabalhos da empresa estão o documentário Rompendo o Silêncio, com o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, o reality show Menina Fantástica para a TV Globo e o roteiro de animação Back Home, selecionado para o 13 Laboratório Internacional de Roteiros SESC Rio.

ARTIGOS SIMILARES