Matéria

Treinamento Digital: 7 Lições para Colocar em Prática

O envolvimento do aluno no treinamento digital é fundamental. Designers, gerentes de projeto e engenheiros educacionais têm um papel a desempenhar na melhoria e manutenção do envolvimento do aluno. Seja uma questão de manter os alunos motivados em seu treinamento ou apoiá-los para concluir um curso, vários fatores devem ser considerados ao projetar e criar um curso que atraia seus alunos.

Um estudo feito pela CrossKnowledge analisou os resultados de 1.729 pesquisas de satisfação realizadas ao final de 42 cursos semipresenciais desenvolvidos por seus clientes sobre diversos temas, incluindo temas (soft e hard skills, gestão, processos e cibersegurança). Essa análise permitiu identificar 7 áreas prioritárias de melhoria que ajudam os profissionais de T&D a desenvolver cursos de treinamento digital mais envolventes.

Aproveite os depoimentos internos

A descoberta: A primeira lição aprendida é que os cursos de treinamento são frequentemente percebidos como muito teóricos ou conceituais. Os alunos esperam que o treinamento seja mais prático, mais próximo de suas realidades do dia-a-dia. Eles também querem mais depoimentos ou compartilhamento de experiências de colegas, líderes ou pessoas de sua empresa que estão enfrentando os mesmos problemas que eles. Compreender como essas pessoas transitaram da teoria para a prática é essencial para que possam se projetar na própria prática, fator chave na aquisição de competência.

A solução: Isso requer um ajuste bastante simples para programas de aprendizado existentes ou futuros. O compartilhamento de experiências pode ser feito facilmente em vídeo; não há necessidade de um estúdio ou equipamento elaborado. Você pode usar um smartphone para filmar um colega ou líder, desde que sejam respeitadas algumas regras simples: bom enquadramento, ambiente silencioso, ambiente agradável, com depoimento sintético e impactante e boa preparação do palestrante para evitar edição pós-produção.

Ofereça mais interatividade

A observação: Conteúdo de qualidade e atualizado é, obviamente, a chave para o sucesso de qualquer curso de e-learning. Mas as pesquisas de satisfação mostram que os cursos geralmente contêm muito conteúdo, às vezes tornando o treinamento “esmagador” para digerir. Para evitar a armadilha de muito conteúdo e manter a atenção do aluno durante todo o curso, os designers devem integrar atividades interativas em pontos consistentes. Fornecer intervalos permite que os alunos verifiquem se as lições foram assimiladas.

A solução: Use questionários dentro do curso! Testes formativos oferecem aos alunos a oportunidade de cometer erros sem consequências. O feedback associado às perguntas permite que os alunos entendam porque cometeram um erro e assim assimilam melhor. Outra atividade do curso são as pesquisas, que permitem que os alunos se posicionem em relação ao seu grupo. Estes são muitas vezes divertidos e muito populares. As perguntas abertas também incentivam a interatividade, iniciando discussões entre os alunos.

Melhore a clareza das instruções

A observação: Seguir um curso de e-learning não é fácil para todos, porque a maturidade digital dos alunos depende de vários parâmetros, e é importante evitar a suposição de que a tecnologia digital é perfeitamente dominada por todos os alunos. Muitas vezes é difícil encaixar o tempo de treinamento em uma semana de trabalho e o treinamento digital é muito mais fácil de adiar do que o treinamento presencial. A conclusão é que os alunos precisam de ajuda para se organizarem.

A solução: sempre lembrar às pessoas os objetivos do curso, a duração e o prazo. Deixe claro quais são os benefícios para os alunos para criar um senso de urgência e envolver os funcionários em seu treinamento. Muitas vezes é necessário fornecer um tutorial ou instruções escritas para iniciar o treinamento. Também é possível ajudar os alunos a se organizarem, oferecendo-lhes um horário semanal para se concentrarem em seu treinamento. Por fim, enviar lembretes automáticos aos alunos garante que eles não se esqueçam de concluir o curso.

Ofereça recursos para download

A descoberta: os alunos geralmente pedem recursos que possam manter em seus computadores para referência futura. Como os fichários que costumam ser distribuídos durante o treinamento presencial, os alunos digitais apreciam o fato de poderem sair com alguma coisa.

A solução: forneça um resumo das ideias-chave, uma lista de verificação ou um plano de ação para concluir no final do curso. Esses documentos podem ser disponibilizados aos alunos para ajudá-los a implementar o treinamento e servir como lembrete após o treinamento.

Mantenha o foco

A observação: A sobrecarga cognitiva ou sobrecarga de informação é uma das principais causas de desengajamento e fadiga de aprendizagem. Muita informação supérflua perde os alunos, e eles muitas vezes querem ir direto ao ponto, para encontrar e recuperar facilmente o que estão procurando no treinamento.

A solução: Um curso personalizável onde todos podem escolher seu próprio caminho é o ideal. Outra solução é incentivar os alunos a seguir apenas o que é mais importante para ter sucesso no treinamento e depois deixá-los consultar livremente o conteúdo secundário. Recursos adicionais que permitem explorar mais o tópico serão apreciados pelos alunos mais curiosos sem frustrar os outros.

Diversifique os estilos de aprendizagem

A observação: os designers tendem a favorecer um estilo de aprendizagem em detrimento dos outros… e muitas vezes é o seu próprio! Alguns preferem teoria, visão geral ou detalhes, outros ação ou discussão, reflexão ou experimentação. Os dados coletados em nossa análise mostram que o vídeo é o formato mais popular, mas não é satisfatório ou eficaz oferecer apenas vídeo. na verdade, os alunos pediram mais módulos, mais interatividade e mais conteúdo para ler e, adicionando esses formatos adicionais, o L&D pode diversificar suas ofertas de aprendizado.

A solução: A variação é a chave para um curso de treinamento altamente envolvente que atenda às expectativas e preferências do maior número possível de pessoas. Permite que todos encontrem algo que os motive e os incentive a ir mais longe.

Limite os elementos obrigatórios do curso

Observação: Tornar um curso obrigatório é muitas vezes a maneira mais fácil de maximizar sua taxa de conclusão, mas pode ser contraproducente em termos de comprometimento. Os alunos adultos estão acostumados a ter certa autonomia em seu trabalho e muitas vezes podem ficar frustrados por ter que clicar em cada conteúdo para validar um curso.

A solução: Se o conteúdo do curso deve ser seguido pelos alunos em tópicos como segurança ou conformidade, a parte obrigatória deve ser a mais curta possível. Informar os alunos desde o início que uma validação do conhecimento ocorrerá no final do curso é um bom começo para garantir que eles permaneçam atentos até o final e evitar que tenham que passar pelo curso uma segunda vez.

Considerações finais sobre treinamento digital

Uma boa maneira de melhorar o envolvimento do aluno é incluir o “método persona” no design do seu curso. Esse método, frequentemente usado em marketing ou design de UX (experiência do usuário), permite criar um arquétipo detalhado de alunos com base em dados ou entrevistas específicas. O objetivo é ter uma visão precisa do nível de habilidade, atividades diárias e expectativas reais dos alunos em relação ao curso, a fim de oferecer a experiência de aprendizado mais relevante possível.

 

Fonte: https://blog.crossknowledge.com/

Curta e siga:
error20
fb-share-icon0
fb-share-icon20
Share:
Verified by ExactMetrics