Matéria

Storytelling: o que fazer e o que não fazer no e-learning

Nós contamos histórias desde o início dos tempos e, ainda hoje, as usamos para comunicar ideias. Contar histórias na aprendizagem pode ser uma maneira eficaz de envolver os alunos e promover a retenção da aprendizagem. Mas nem todas as estratégias de storytelling são criadas iguais.

Quando bem feito, o storytelling pode ser uma ferramenta de aprendizagem eficaz. Segundo a pesquisas, 63% das pessoas lembram melhor os fatos quando apresentados no contexto de uma história. Afinal, dar contexto da vida real torna os cursos aplicáveis ​​ao aluno e cria familiaridade, tornando a experiência mais memorável. Mas quando mal feito, pode causar mais mal do que bem. Aqui estão alguns prós e contras quando se trata de aplicar técnicas de narrativa em seus treinamentos on-line e programas de aprendizagem.

O que fazer

1. Apresente e defina o cenário de sua história

As histórias ajudam a contextualizar as informações e torná-las mais fáceis de lembrar. Então, primeiro, você tem que apresentar o cenário e a questão do conflito. Se você for vago e generalista, as pessoas terão dificuldade em entender seu ponto de vista; eles não saberão do que você está falando. Contar histórias também nos ajuda a aprender, reforçando ideias-chave ao longo do tempo de uma forma divertida. É assim que podemos criar um arquivo de informações ao qual podemos retornar sempre que precisarmos.

2. Apresente personagens relevantes

Ao criar uma história, é importante apresentar personagens relevantes. Você quer que seu público seja capaz de acompanhar, então certifique-se de que eles possam entender quem é quem. Quanto mais diversos e interessantes os personagens, melhor a história. Isso é especialmente verdadeiro para contar histórias na aprendizagem, onde o objetivo é envolver os alunos de uma maneira que os faça querer continuar aprendendo. Também é importante apresentar personagens e situações relevantes, tornando mais fácil para os alunos se relacionarem com seu conteúdo.

3. Permita que os alunos interajam com a história

Ao incorporar a narrativa em suas aulas, certifique-se de permitir que os alunos interajam com a história. Isso pode ser feito de várias maneiras, como permitir que eles façam escolhas para seus personagens. Isso se traduz em cenários de várias ramificações, onde os alunos podem escolher seu próprio caminho pelo conteúdo. É como um daqueles livros de “escolha sua própria aventura”.

4. Amarre a história ao longo do seu e-Learning

Em relação ao e-Learning, as histórias podem ser uma ótima maneira de envolver seus alunos e ajudá-los a se conectar com o material. Mas há algumas coisas que você precisa ter em mente ao usar histórias no e-Learning. Uma introdução narrativa sólida e um resumo são essenciais, mas tão importante quanto é você amarrar a história em todo o seu curso. Você pode iniciar cada tópico com uma seção da história e, em seguida, referir-se a personagens e situações em todo o conteúdo principal. Além disso, usar uma linguagem que apoie o tema ao longo do curso fortalecerá a história.

O que não fazer

1. Não deixe os pontos-chave de fora

Ao criar uma narrativa no e-Learning, certifique-se de que os pontos-chave não se percam na história. É fácil cair na armadilha de deixar uma história ser seu próprio ponto final, mas isso pode levar à confusão. Se você tem muitas informações para transmitir, deve garantir que elas sejam apresentadas em um formato fácil de digerir e que seu público possa lembrar facilmente. Mantenha-a estruturado e separe as seções da história, do conteúdo principal, para aumentar a clareza.

2. Não torne a história muito complexa

Ao criar uma história para fins de aprendizagem, você deve ter certeza de que ela não é muito complexa, pois isso pode confundir os alunos e dificultar o acompanhamento. Em vez disso, faça a história clara e concisa. Afinal, a história deve ser simples de seguir e apoiar o aprendizado sem distrair e criar sobrecarga cognitiva. Também é importante lembrar que nem todos têm o mesmo nível de especialização em seu assunto. Se possível, crie várias versões da mesma história para que as pessoas possam escolher a mais adequada para seu nível de conhecimento.

3. Não exagere no design

Quando se trata de incorporar a narrativa em seus cursos de e-Learning, não exagere no design. Atenha-se a um layout limpo e simples que ajudará a manter seus alunos envolvidos. Você quer que seus alunos entendam a moral da história sem se perder nos detalhes. Não os faça ler longos blocos de texto. Eles ficarão entediados e perderão o interesse rapidamente! Mantenha as coisas curtas, rápidas e relevantes para suas necessidades – qualquer outra coisa se torna um preenchimento desnecessário.

Palavras finais

Quando usado corretamente, o storytelling é uma ferramenta poderosa para envolver os alunos e promover a retenção de informações. No entanto, há algumas coisas a ter em mente ao usar essa técnica. Contar histórias, como qualquer outra arte, é fácil de abusar, mas difícil de dominar. É tanto uma arte quanto uma ciência e requer criatividade e pesquisa para que seja bem feito. Desta forma, você não precisa ter medo de ser “criativo” com sua narrativa na aprendizagem, mas sim, você também deve entender os princípios básicos e fundamentos da narrativa.

Uma boa história envolve, mas entretém primeiro. As melhores histórias nos fazem sentir algo, e para a aprendizagem com certeza não é diferente.

Fonte: https://elearningindustry.com/

Curta e siga:
error20
fb-share-icon0
fb-share-icon20
Share:
Verified by ExactMetrics