Como criar uma cultura onde todos os colaboradores são vistos e ouvidos?

É muito importante entender o que seus colaboradores realmente querem de você e de sua organização. As preferências deles podem variar, mas uma coisa é clara: seu pessoal sempre tem algo a dizer, seja nas operações do dia-a-dia ou no treinamento corporativo. Os colaboradores querem sentir que suas opiniões têm peso.

Com as práticas corretas de Treinamento e Desenvolvimento (T&D), é possível implementar essa “atualização”. De fato, na nova pesquisa da SafetyCulture em parceria com a YouGov, treinar e saber ouvir são fatores fundamentais para reter e atrair talentos. Portanto, use isso como uma chance de atualizar suas iniciativas de treinamento e sinalizar para sua equipe que sua voz é realmente valorizada.

Vamos examinar três passos poderosos para construir uma cultura de “fala” que possa criar e incentivar um local de trabalho seguro e equitativo.

1.Torne o processo de relatório simples e acessível para sua equipe.

Na maioria dos cenários de trabalho, os indivíduos lutam para se fazerem ouvir e não sentirem que serão ridicularizados pela gerência ou não apoiados por seus pares. Uma das maiores razões pelas quais os colaboradores não se manifestam ou relatam problemas – mesmo que representem um risco claro de segurança – é porque acreditam que a administração não agirá sobre isso. Não agir muitas vezes parece que a liderança está minimizando o problema ou ignorando-o completamente. Conclusão: se seu pessoal não confia em você para agir, eles não se incomodarão em falar.

Uma equipe forte tem um alto senso de conectividade e engajamento, onde os membros da equipe podem oferecer o melhor desempenho por meio do trabalho em equipe e, com o tempo, construir inerentemente a confiança uns com os outros. Mas para que isso se traduza em uma cultura de “falar”, é preciso haver mais do que apenas uma base de confiança e conexão: deve haver um líder, no topo da escada, que esteja andando e falando. Quando sua equipe perceber que você os está ouvindo ativamente, digitalizando os processos de relatórios em seu benefício e tomando medidas para lidar com seus relatórios, eles serão mais obrigados a agir em relação às políticas de conformidade, segurança e legais.

2.Crie um espaço seguro onde todos sejam encorajados a falar.

Você deve sempre se esforçar para que seu local de trabalho seja um espaço seguro. Mas é preciso mais do que falar da boca para fora para conseguir isso. Pesquisas sugerem que há uma relação entre o medo de retaliação e a subnotificação, o que significa que os trabalhadores da linha de frente são muito menos propensos a apresentar problemas se temem a perda do emprego como resultado.

Para realmente promover uma cultura de “fala”, seu pessoal não deve temer retaliação se enviar uma denúncia. Faça o possível para motivar seu pessoal a se comunicar abertamente quando algo não estiver funcionando. Exiba pôsteres com códigos QR que permitem que as pessoas registrem rapidamente problemas que notificam instantaneamente as pessoas certas. A implementação desse processo mostra ao seu pessoal que a empresa se preocupa com o feedback deles.

A segurança psicológica é crucial para o desempenho da sua equipe. Ao desenvolver um espaço seguro, os membros da equipe se sentirão confiantes para serem mais abertos, em vez de temer críticas ou rejeição.

Lembre-se, um espaço seguro no trabalho é um ambiente fluido – um espaço que se adapta constantemente a novas mudanças. Seja um novo colaborador entrando na empresa, uma resposta ruim a um relatório ou algo tão simples quanto um membro da equipe se mudando, esses “fatores” podem suprimir as chances de uma cultura de “fala”. Portanto, fique de olho nas mudanças no local de trabalho e no impacto que elas podem ter na abertura e na abertura de sua equipe.

3.Desenvolva uma cultura de aprendizado contínuo.

O treinamento é o coração da implantação – e manutenção – de uma cultura de “fala” no local de trabalho. Portanto, incorporar o aprendizado contínuo em sua organização é a melhor maneira de manter altos padrões de relatórios e, como resultado, melhorar a felicidade dos colaboradores.

Siga este roteiro quando se trata de ministrar treinamento: retreinar, atualizar, repetir. O treinamento deve ser projetado para incentivar a proatividade e o feedback no local de trabalho. Para alcançar os resultados desejados, acompanhe quais alunos estão atualizados com seu aprendizado e atribua cursos de atualização conforme necessário para garantir que as informações críticas permaneçam em mente.

As plataformas de microlearning são úteis para líderes de aprendizado que podem ajudá-lo a oferecer programas de treinamento impactantes. Eles permitem que você realize treinamentos em intervalos regulares e torne a qualificação parte da cultura do seu local de trabalho. Com lições gamificadas , recompensas e desafios, é simples envolver seus alunos.

Seguindo em frente

Dê voz aos seus colaboradores criando um ambiente de trabalho seguro e estimulante que receba feedback aberto. Implemente um sistema de relatórios digitais para tornar o processo simples e acessível e capacite os colaboradores a se manifestarem se algo não estiver certo.

Os melhores líderes de T&D já estão tomando medidas para melhorar seu treinamento e ambiente de trabalho e para nutrir uma cultura positiva de “falar”. A menos que você queira ver seus principais talentos fugirem para pastos mais verdes, agora é a hora de se adaptar a essa nova norma.

 

Fonte: https://trainingindustry.com/